quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Quando amanhecer-VI

Como em um piscar de olhos Gabriela acordou, a noite passou rapido... parecido com um piscar de olhos mesmo. Ela acordou e ficou na cama, não tinha nada no mundo que ela gostava mais do que acordar e ficar na cama. Ficou lá por uma hora ou duas, pensando e pensando naquele sentimento que ela trancou no fundo do coração. Relembrava cada milésio dos passos da tal moça misteriosa, cada piscar de olhos ,cada expressão facial, relembrava até do inesquecível sorriso de canto de boca.
Eu preciso conversar com ela ! acho que isso indica que podemos ser ótimas amigas! - Mentiu ela esperançosa para si mesma.
Gabriela queria tanto conhecer a tal moça que começou a se preocupar caso seus planos não dessem certo.
E se a tal moça nunca mais voltar na cafeteria? E se ela me despresar por eu estar servindo ela ? isso pode acontecer não é mesmo ? - Gabriela perguntava para si mesma

De repente o celular de Gabriela toca, quebrando o silêncio e os seus pensamentos. Olhando o visor ela viu o número de Marcelo, pensou em não atender, ela está tão encantada com a tal moça , tão animada com a possibilidade de uma nova amizade que não queria estragar os seus pensamentos e posteriormente seus planos. Mas ela atendeu.
- alo?
- Oi Gabi... acordei você ?- perguntou Marcelo com tom de desconfiança
gabi?- ela pensou
- não...não me contou não.
- me perdoa? Ontem eu estava muito nervoso.
- ah claro, tudo bem Marcelo, nós não podemos deixar que isso acabe com nós.
- não mesmo! jantar hoje?
- anh... ok.
- tudo bem , vou trabalhar. Tchau amor.
-tchau.

Unf- murmurou ela.
Finalmente Gabi se levantou da cama, seu longo cabelo castanho estava todo embaraçado, ela nem se preocupou em pentea-los. Ela passou pelo banheiro e pegou sua escova de dente e foi para o computador, onde ela estava vendo seus e-mails e ao mesmo tempo escovava seus dentes. Só havia uma mensagem nova que pertencia ao seu grande amigo Brito, ele anunciava e ao mesmo tempo me convidava para uma festa GLS, chamada Freak me. A menina ficou olhando aquele convite com descaso e pensando, por que o Brito me chamaria para uma festas dessas ? eu não sou gay !
mas ao mesmo tempo uma outra parte de Gabriela dizia para ela ir e se divertir , ela não precisava ficar com ninguem e muito menos com uma mulher.
Quando ela pensou na palavra mulher, voltou a se lembrar imediatamente da moça do café. Que fixação é essa? - ela se perguntou.

Unf!- murmurou novamente.
Gabriela não esperou mais pensamentos e pegou o telefone para ligar para Brito. O telefone tocou umas 5 vezes até o garoto atender

-Brito seu babaca ! hahaha
- oi gaaaata !
- oi, que e-mail é esse en? hm
- qual ? o da festa?
- exatamente !
- o que ??
- BRITO EU NÃO SOU GAY !
- eu sei minha filha ! só... ah ! pensei que você gostaria de se divertir com seus amigos...
- aah que gracinha Brito!
- poise, e você ai pensando coisas.
- não, digo, não pensei nada.
- sei. Então... vamos ?
- hm, vou pensar ok?
- ta... você que sabe.
- é.. bom , vou indo me arrumar para o trabalho Brito, beijos. Te amo
- tambem gataa !

Gabriela desligou o telefone, e foi procurar alguma coisa no seu armario. Acabou vestindo uma calça skinny com uma sapatilha e uma blusa qualquer.
bem simples para um dia normal- ela pensou

Ela deu uma olhadinha no espelho e saiu de casa, com os cabelos ainda todos despenteados. Hoje Gabi decidiu ir de metro, era mais rapido e assim a permitia tomar café da manhã. E assim foi, ela chegou na cafeteria que ela trabalhava, já tinha clientes, uns 6 no total. Ela mesmo se serviu e se dirigiu a mesa da janela. O simpatico capuccino estava delicioso e ela degustava cada gota, a menina era uma admiradora assumida por café. Quase terminando o café e já na última página das noticias da cidade, em um momento de distração, Gabriela olha para o lado e lá está ela.
O coração de Gabriela bateu mais forte, havia borboletas em seu estômago, ela mordeu os labios por um tempo... Gabriela tinha coragem e era cheia de si mesma, respirou fundo e mordeu mais uma vez seus ládios e foi lá, tentando esboçar um sorriso no rosto.
- Oi, está sozinha? - disse Gabriela
- anh? ah sim... quer uma cadeira? - sorriu a tal moça
e ali estava o verdadeiro motivo para Gabriela sair do seu lugar, o verdadeiro motivo do seu dia de ontem e talvez o de hoje tambem.
- anh, rs, não, eu na verdade gostaria de me sentar , posso?
- claro ! rs ainda bem que chegou ja estava me sentindo mal com esse jornal cheio de notícias ruins.
- acontece muita coisa ruim hoje em dia não é mesmo?
Que tipo de comentario foi esse gabriela? - a própria pensou.

- é ! desculpe, acho que te conheço.
- anh... acho que sim, eu trabalho aqui.
- é mesmo ! uau que legal!
- mais ou menos, hehe.
- hehe então... eu tenho que ir , tenho que trabalhar... desculpe.
- que isso ? tudo bem .. eu tambem tenho... não precisa se desculpar
a moça sorriu.
- tudo bem, tchau...
- tchau
Gabriela olhava a moça, e se sentia boba, feliz, com vergonha, com vontade de sorrir , com vontade de sair correndo, eram um muitos sentimentos e muitas contradições para uma pessoa só. Antes da moça da um passo ela se virou para Gabriela e disse:
- Desculpe novamente, qual é o seu nome ? não te perguntei.
- Gabriela...
- Sara.
a moça sorriu mais uma vez
- bom Sara, bem vinda ao Strub's
Sara sorriu mais uma vez, dessa vez olhando para o chão.
- obrigada

e saiu, dando de costas para Gabriela que agora boba com essa sessão de sorrisos, não conseguia nem pensar direito, demou um minuto para Gabriela voltar ao seu corpo. E agora de pé se dirigindo ao seu balcão para poder começar mais um dia mediocre ou não.