sábado, 16 de março de 2013

De pequena pedrita

Ontem achei que tudo iria acontecer novamente, eu começei a pensar coisas estranhas, a me negar a coisas estranhas e eu começei brigar comigo mesma e na manha seguinte, iria acordar com outro rumo de vida. Bem, ontem cogitei a ideia de não te ouvir mais cantar, mas hoje acordei com mais vontade ainda de continuar.
eu sei que o barco ta quebrado,  que talvez o balão que estamos voando esteja furado. Eu sei que não vou poder permanecer para dormir, e que talvez não sobre tempo para uma xícara de chá, mas quer saber ?
   Eu nunca gostei mesmo de chá.
    Então meu bem, esteja aqui por estar, por querer, por sorrir, por amor, por gozar. Eu sei, eu sei, o barco ta quebrado, mas saiba que se você quiser, eu posso remar. Nos trancos e barrancos, serei o seu porto. A sua ilha isolada, sua pedra de apoio para poder respirar em meio ao alto mar. Vou estar aqui com sorrisos de boca e olhos, de beijinhos no pescoço, de convercê na cama. Pra dividir o apoio do carro, pra ouvir suas queixas, para ficarmos bêbados...  para sermos quem somos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário