segunda-feira, 15 de abril de 2013

Súplicas

Tempo, 
Me chama de menina, me pega em seus braços e me conforta. Me tire para dançar com boa música e com velhos amassos. Me faça um convite, ou melhor, te faço um convite, te convido a andar mais devagar quando sorrio, quando o mundo está mais leve ou quando meus pés não doem. Mas se queres correr, corra, pois és livre, mas corra somente quando desejar que seus ponteiros gire depressa. Na sexta, vá com calma, no domingo, acelere, quando estiver bom, aprecie e quando estiver ruim, coopere. Se estou ansiosa, enrola e se estou alegre, a minha ansiedade já é toda sua. Quando eu dormir, durma comigo, se eu sorrir, espere mas se caso eu chorar, seja breve. 
Se fosses meu, somente meu, aula de matemática duraria poucos segundos, almoço em família apenas uma hora e um expediente, um tempo leve. O café não esfriaria, o cigarro não apagaria e os beijos, tempo suficiente para que se eternize. Acalma minha alma, querido tempo, me ensina a esperar e me bata a cara quando minhas reclamações forem maiores que os meus agradecimentos. Te peço também que proteja meu menino que não está comigo, mas que nunca saiu do meu coração. Me abra para o amadurecimento, para despedidas e principalmente para reencontros. Me diz o que é certo, me beija a boca e faça ninar e me acorde apenas quando tudo isso acabar.